Secretário de Estado de Infraestrutura traça panorama e expectativas das pasta em MS

Categoria: Geral | Publicado: quinta-feira, junho 18, 2015 as 16:10 | Voltar

Campo Grande (MS) – O titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Marcelo Miglioli, falou na manhã de hoje (18), durante entrevista à Rádio UCDB sobre as expectativas e projetos do Governo para Mato Grosso do Sul. “Com o programa ‘Obras Inacabadas Zero’ vamos terminar todas as obras que ficaram do governo anterior”, afirmou, reiterando o discurso do governador Reinaldo, que na manhã de hoje firmou o compromisso com o término das obras durante uma agenda no município de Figueirão.

Obras Inacabadas Zero

De acordo com o secretário o Programa já está realizando licitações para a manutenção de rodovias, onde algumas encontram-se em situações muito críticas, especialmente nas áreas produtoras de grãos e madeiras. “Há também rodovias pavimentadas em estado precário especialmente os trechos Bataguassu- Brasilândia e Chapadão- Costa Rica, para os quais também teremos ações. Pretendemos terminar tudo que estava em andamento, algumas já demos ordem inicial de serviço e de acordo com o nossos recursos financeiros. Queremos chegar até o final do ano com tudo pronto”.

Concessão de Rodovias

Sobre a concessão das BR’s 262 e 267, Milgioli afirmou que a primeira etapa foi conseguir colocar as rodovias no Programa de Concessão e que preliminarmente o Governo Federal pretende realizar as licitações em 2016.

Aquário do Pantanal

Considerado uma obra complicada em virtude do número de contratos envolvidos, o secretário afirmou que a equipe técnica está empenhada em concluir o Aquário e explicou os entraves. “Fazer a gestão de vários contratos envolvidos num mesmo objeto e onde as empresas trabalham independentemente contratualmente, mas dependentes fisicamente não é nada fácil, ela realmente tem problemas técnicos. O problema atual é que o contrato original do projeto não contemplou a obra toda e começou a ter contratos paralelos, o que gera um problema gerencial. Ou seja, temos uma obra só e uma série de contratos, por isso a dificuldade com o Aquário”.

Ferrovias, hidrovias e transporte aéreo

O plano do atual Governo contempla atuar em outros tipos de transporte onde se destacam duas hidrovias que já estão tendo ações junto ao Governo Federal para viabilização: a do Paraguai e do Paraná-Tietê. “Temos grande interesse no Paraná-Tietê devido ao porto de Bataguassu que está pronto há 14 anos e permanece fechado. Já tivemos agenda com o ministro do Transporte para falar dela. A do rio Paraguai também temos tratado”. Outo destaque dado por Miglioli foi o porto de Murtinho. “Trata-se de uma das ações mais importantes na logística e é um assunto dividido entre várias secretarias pois contempla muitos aspectos”.

As ferrovias seguem o que foi acordado durante o Programa de Concessão e o que ficou recentemente firmado entre a empresa Rumo ALL e o Governo do Estado, de que uma equipe multidisciplinar fará uma avaliação das melhores alternativas sociais e econômicas para a manutenção e possível ampliação da malha.

O transporte aéreo também será contemplado em Mato Grosso do Sul. Na semana passada foi anunciado o investimento em oito aeroportos do Estado. “Mais um projeto em parceria com o Governo Federal que irá melhorar nossas condições de infraestrutura”.

Foto: Moisés Silva

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.